Notícias Vasp – 264 – Caso Vasp: Executivos investem R$ 70 milhões em fazenda

Caso Vasp: Executivos investem R$ 70 milhões em fazenda

O grupo que arrematou por R$ 310 milhões a Fazenda Piratininga terá de investir R$ 70 milhões na recuperação da propriedade, que inclui a construção de tanques para abastecimento de água para o consumo de gado e recuperação de pastagens.

Os empresários Walterci de Melo, sócio majoritário do Laboratório Teuto; Marcelo Limírio Gonçalves, da fabricante de remédios genéricos Neo Química; e João Alves de Queiroz Filho, do grupo Hypermarcas, que formam o grupo MCLG Administração e Participações Ltda, receberam as informações de como a propriedade estava, mas encontraram um cenário um pouco pior do que esperavam.

“O gado bebia água em poças barrentas. A cada 15 dias serão construídas caixas d’água de 1 milhão de litros. Aquilo era chamado de ‘vale dos esquecidos’”, comentou o advogado do grupo comprador, Djalma Rezende.

Segundo ele, o local tinha estruturas modernas na área de 252 mil hectares, 110 mil cabeças de gado e 100 mil metros quadrados de área construída, mas deixa a desejar no tratamento com os animais.

“Aquilo estava uma vergonha. Tinha guachos [bezerros que por algum motivo ficam sem mãe] por todo o canto. Eles precisam ser tratados com mamadeiras porque não acompanhavam o grupo”, revela o advogado.

Rezende ressalta ainda que as relações trabalhistas também deixavam a desejar. “Os peões só recebiam em dinheiro. Até porque o Canhedo não podia pagar de outra forma já que está com o nome complicado na Justiça. Agora que o grupo assumiu a fazenda, readmitiram 140 funcionários e abriram contas em bancos para todos”, completou.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search