Aviação cresce nas cidades do interior

Jornal de Turismo

Aviação cresce nas cidades do interior
Qua, 28 de Setembro de 2011 11:32

O registro recorde de embarques e desembarques domésticos em julho e a pesquisa de expectativa de viagem apontam para a continuação do crescimento da demanda de passageiros e o consequente aumento no movimento em aeroportos regionais. Atento a esse movimento, o MTur (Ministério do Turismo) vem identificando locais prioritários para investimentos em infraestrutura aeroportuária regional.

O objetivo é estimular o desenvolvimento das rotas de baixa e média densidade de tráfego e o aumento do número de cidades e municípios atendidos pela aviação regional. Aproximar essas distâncias significa ampliar a gama de turistas para essas regiões e alavancar o setor como um todo, promovendo expansão da hotelaria, dos restaurantes e dos atrativos turísticos.

Desde 2003, o Ministério do Turismo destinou R$ 160 milhões para obras de infraestrutura nos aeroportos regionais brasileiros. Os repasses tiveram como objetivo a revitalização de pistas, construção de terminais de embarque e desembarque, aquisição de equipamentos e outras realizações fundamentais para a recuperação e modernização aeroportuária, para elevar o potencial turístico em cidades de pequeno e médio porte.

O Prodetur (Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo) já levou à aprovação do Cofiex US$ 1,9 bilhão em financiamentos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento e à Corporação Andina de Fomento, para o atendimento a 24 áreas turísticas prioritárias. Elas vão do Seridó, no Rio Grande do Norte, à Serra da Bodoquena, no Mato Grosso do Sul, passando pelo agreste paraibano, pelo Jalapão tocantinense e pela Serra fluminense.

E o setor responde aos investimentos. Em 2010, 6,5 milhões de passageiros viajaram em voos das 13 companhias aéreas regionais, número 279% maior do que em 2005, quando foram registrados 1,7 milhão de clientes em voos regionais. Dos 731 aeroportos públicos do país, 175 foram listados pelas empresas aéreas como de maior potencial turístico. Quatro, entre os cinco primeiros citados, estão localizados no Nordeste: Lençóis e Porto Seguro (BA), Juazeiro do Norte (CE) e São Luis (MA).

A aviação regional tem apresentado os mais altos índices de crescimento do setor aeroviário, com resultados significativos nas operações das companhias, que chegaram a 123,9% de crescimento no primeiro semestre de 2011, em relação ao mesmo período de 2010.

O turismo em números – Em julho de 2011, foi registrado no Brasil recorde de 7,4 milhões de embarques e desembarques em voos domésticos – crescimento de 22,05% em relação ao mesmo período de 2010, com 6 milhões de movimentações. E a expectativa do mercado segue em alta: segundo pesquisa do Ministério do Turismo, realizada pela Fundação Getúlio Vargas, viajar nos próximos seis meses está nos planos de 33,7% dos pesquisados; 65% desses potenciais viajantes pretendem fazê-lo de avião, 86,1% deles, acompanhados.

Por definição, companhias aéreas regionais são aquelas que operam com aeronaves com até 120 assentos, em aeroportos secundários, que podem ser classificados a partir do movimento de passageiros e de aeronaves, ou ainda por características do município.

Por aeródromo entende-se toda a área destinada a pouso, decolagem e movimentação de aeronaves de asa fixa ou rotativa. Podem ser compartilhados, militares, privados ou públicos e restritos. Aeroporto é todo aeródromo dotado de instalações e facilidades para apoio de operações de aeronaves, embarque e desembarque de pessoas e cargas.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search