Notícias Vasp – 324 – O ATUAL MOMENTO III

São Paulo, 04 de maio de 2012.

Prezados Amigos e Clientes,

A noticia Vasp 323, referente a matéria divulgada pelo Consultor Jurídico, sobre uma decisão do Presidente do TST, contém um lamentável engano que tem gerado vários e-mails  pedindo maiores explicações da parte de muitos ex-vaspianos.

A reportagem se equivocou ao dizer que os pagamentos já começaram com base na venda da fazenda Piratininga,  ao contrário do que consta na matéria  ninguém recebeu  nada deste dinheiro depositado no Juízo auxiliar de execução.

As 02 primeiras parcelas da venda da fazenda estão depositadas em juízo desde dezembro de 2010.

O Banco Rural entrou com vários recursos no TST e no STJ.

Para quem não se recorda, a venda  em 15.12.2010 teve uma entrada de R$ 60.000.000,00 e mais 05 parcelas de R$ 50.0000.000,00, cujo ultimo deposito só ocorrerá em 15 de dezembro de 2015.

Os únicos ex-vaspianos que receberam alguma coisa foram aqueles que ficaram  da entrada da extinta Vasp em Recuperação Judicial e a sua decretação de falência .

Eles receberam diretamente da Vara de falência.

O inicio do pagamento com base na Ação Civil Pública está aguardando o julgamento da  Exceção de Suspeição do Ministro da 5 Turma do TST, do Recurso de Revista no TST e de um possível julgamento de 02 recursos no STF referente ao processo no STJ e do próprio TST.

Nenhum pagamento dos processos trabalhista em curso no Brasil irá ocorrer até que todos esses recursos sejam julgados em definitivo.

Vocês tem acompanhado através dos informes que lhes envio os vários embates nos diversos Tribunais Superiores em Brasília  e a  lutas árdua e hercúlea  desenvolvidas semanalmente em Brasília.

Para o Dr. Francisco Gonçalves Martins e para mim, não existe mais fim de semana desde 2008, que sem o apoio irrestrito e incondicional  do Presidente do Sindicato de Aeroviários do Estado de São Paulo, Mandu e do Diretor Jurídico Marquinho,  nós não teríamos chegado até aqui.

As petições e as contramedidas adotas contra os recursos e manobras realizadas em Brasília para anular o que ganhamos, chega ao cúmulo de serem até 03 vezes semanais ,onde temos  peticionado sistematicamente  e colocado a cara para bater no STJ, no TST e no STF.

Nós ainda temos uma longa jornada pela frente em face da quantidade de recursos que  o Grupo Canhedo interpôs e pode interpor .

Pessoalmente não acredito que saia nada antes de 2014.
Lamentavelmente esta é a Real situação que nos encontramos hoje.

Não existe nenhum pagamento a vista por enquanto…

Assim que tiver alguma novidade mais concreta eu lhes avisarei.

Atenciosamente,

Carlos Duque Estrada

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search