Pouso com pitada dePouso com pitada de heroísmo nos EUA heroísmo nos EUA

ZERO HORA

28 de setembro de 2012
SUSTO EM NOVA YORK

Com uma falha no trem de pouso, piloto gaúcho aterrissa com segurança
O pouso heroico realizado no aeroporto John F. Kennedy, em Nova York, no final da manhã de quarta-feira, repercutiu ontem em noticiários brasileiros e norte-americanos. Imagens feitas no aeroporto e divulgadas pela rede americana ABC mostraram a destreza da tripulação da TAM no voo JJ8078, que partiu do Rio de Janeiro à 1h9min de quarta-feira.

Pilotado pelo comandante gaúcho Moacir Ifarraguirre de Oliveira, 58 anos, o Airbus A330 da TAM, com 190 passageiros, por pouco não sofreu um acidente quando pousava. Ao preparar-se para a aterrissagem, o avião apresentou uma falha no trem de pouso dianteiro, e as rodas ficaram de lado, não alinhadas com a aeronave.

Avisada pela torre de controle do aeroporto, a tripulação entrou em contato com o Centro de Controle de Manutenção da TAM, em São Paulo, conforme reportagem do Jornal Nacional. O procedimento para corrigir o problema ocorreu ainda durante o voo. A aterrissagem, sem problemas, foi realizada às 11h56min.

Para o professor da Faculdade de Ciências Aeronáuticas da Pontifícia Universidade Católica (PUCRS) Ênio Dexheimer, o importante para o sucesso nessas operações é a tecnologia na comunicação:

– É possível tratar de panes em pleno voo. Um piloto em Nova York consegue se comunicar com a manutenção em São Paulo e arrumar o problema apresentado pela aeronave.

Conforme a TAM, o avião permanece no aeroporto de Nova York, onde autoridades, engenheiros e técnicos da companhia e representantes dos fabricantes do trem de pouso e da aeronave investigam a causa do problema.

Perícia de piloto foi fundamental

Para Ênio Dexheimer, a perícia do comandante Moacir Ifarraguirre de Oliveira, que tem mais de 10 mil horas de voo, também foi fundamental. Sem a calma para lidar com a adversidade, esse fim não seria possível.

Em nota, a TAM reconheceu a perícia e o profissionalismo da tripulação, sob liderança do comandante gaúcho, e cumprimentou a todos pelo procedimento realizado.

Nascido em Porto Alegre, Oliveira está desde 1998 na companhia e tem 2,8 mil horas de voo em aeronaves A330. Com brevê desde os 18 anos, também atuou na Varig.

Ainda em nota, a TAM informou que o avião foi fabricado em 2008 e estava com o plano de manutenção em dia. A inspeção mais recente, diz a empresa, foi realizada no dia 18 de setembro deste ano.

O que aconteceu

– Ao identificar o problema no trem de pouso, avisado pela torre de controle do aeroporto de Nova York, o comandante arremeteu, avisou que poderia realizar um pouso de emergência e entrou em contato com o Centro de Controle de Manutenção da TAM, em São Paulo.

– Identificado o problema, a tripulação tratou de seguir as instruções dos técnicos, destravando o trem de pouso dianteiro, que permaneceu desalinhado.

– Ao encostar com as rodas traseiras na pista e manter a aeronave inclinada, o comandante conseguiu alinhar o trem de pouso e aterrissar com segurança.


Aterrissagem teve início com trem de pouso desalinhado, como
mostra imagem veiculada pelo Jornal Nacional

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search