Aerolíneas quer aeroporto central de Buenos Aires só para ela, diz jornal

Folha de São Paulo
São Paulo, sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Se plano vingar, TAM e Gol terão de voar só de Ezeiza, a 35 km do centro
MARIANA BARBOSA
DE SÃO PAULO
Com prejuízos diários de US$ 2 milhões, a Aerolíneas Argentinas quer melhorar seu desempenho afastando a concorrência para o aeroporto internacional Ezeiza, a 35 quilômetros de Buenos Aires. 

TAM, Gol, LAN e outras companhias da América do Sul operam hoje no aeroporto central de Buenos Aires, o Aeroparque Jorge Newbery.

Segundo a imprensa argentina, a direção da Aerolíneas, controlada pelo governo, planeja que o Aeroparque fique restrito a voos domésticos e regionais da Aerolíneas e de sua subsidiária, a Austral.

Até mesmo jatos executivos e aviões da Força Aérea seriam transferidos para Ezeiza ou para um terceiro aeroporto, o San Fernando.

O projeto ainda não foi apresentado oficialmente para as autoridades do setor aéreo do país, mas, segundo o jornal de economia “Cronista”, está na mesa da presidência da Aerolíneas. Procurada pelo “Cronista”, a Aerolíneas não se manifestou.

O aeroporto argentino recebe 295 voos por dia, sendo 190 da Aerolíneas e da Austral. A segunda maior operadora é a LAN Argentina, com 55 voos. TAM e Gol realizam seis voos por dia cada uma.

Até 2010, TAM e Gol voavam de Ezeiza. Mas, depois que o governo argentino permitiu que a Aerolíneas voasse para o Brasil a partir do Aeroparque, em março de 2010, as companhias aéreas brasileiras passaram a reclamar tratamento igualitário.

Analistas acreditam que o principal alvo da medida é a LAN Argentina.

Em dezembro passado, a Anac, agência de aviação civil da Argentina, revogou a autorização da LAN para voar do Aeroparque para Santiago do Chile ou São Paulo.

A Anac justificou a medida argumentando que o aeroporto estava lotado.

No entanto, dias antes a Austral recebeu autorização para realizar voos para o cone Sul.

Ainda segundo o “Cronista”, é quase certo que TAM e Gol tenham que voltar para Ezeiza quando acabarem as obras de ampliação do aeroporto, que hoje concentra voos de longo curso e voltará a receber voos regionais (América do Sul).

Procuradas, TAM e Gol disseram que não foram notificadas oficialmente e que, portanto, não iriam comentar.

 

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search