Gol volta atrás e decide manter validade de bilhetes comprados com código promocional que vazou

O Globo

Passagens serão reemitidas sem ônus também para aqueles que não embarcaram nos últimos dias em razão do cancelamento
DAIANE COSTA
DANIELLE NOGUEIRA
Publicado:
1/11/12 – 17h43
Atualizado:
1/11/12 – 21h39


Consumidores lesados criaram página no Facebook
REPRODUÇÃO / O GLOBO


RIO e BRASÍLIA —
O vazamento na internet de um código promocional para compra de passagens da Gol dias antes do feriadão revelou mais uma falha do sistema aéreo brasileiro. O código, que dava descontos de até 85% sobre o valor dos bilhetes, era de uso restrito da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), que mantém contrato com a aérea para transportar seus atletas. Segundo fontes, cerca de 5 mil passagens foram compradas indevidamente. Ao detectar a fraude, a Gol cancelou as viagens automaticamente. No fim da tarde desta quinta-feira, a companhia voltou atrás e decidiu manter a validade dos bilhetes.

A fraude foi detectada há três dias. O sistema de rastreamento da Gol identificou que um número grande de passagens usando o mesmo código promocional, o CVB85, havia sido comprada pelo site e que a origem da compra não correspondia ao histórico de aquisições vinculado a esse código. Automaticamente, os bilhetes foram cancelados, levando passageiros a serem surpreendidos quando estavam fazendo check-in nos aeroportos. Ao perceber o número de vítimas da fraude, a Gol decidiu bancar os bilhetes com desconto. A empresa não informou o valor do prejuízo que terá com a manutenção das promoções.

A Gol mantém contratos com fornecedores e clientes corporativos, por meio dos quais concede desconto nas passagens. O percentual máximo do desconto vem no final do código em questão. Em nota, a empresa informou que “houve apropriação indébita e disseminação de um desses códigos, referente ao contrato com a Confederação Brasileira de Vôlei”. Disse ainda que “em respeito a aqueles que, de boa fé, tenham adquirido bilhetes desta forma, a Gol — também vítima deste fato — informa que honrará tais compras e manterá a validade dos bilhetes”. A empresa investigará o vazamento.
Para revalidá-los, os consumidores devem entrar em contato com a Central de Relacionamento da empresa pelo telefone 0800-704-04-65. As passagens serão reemitidas sem ônus, tanto para quem já perdeu a viagem como para quem ainda iria viajar.

Anac: ‘solução tempestiva’

Antes da decisão da companhia de manter os bilhetes, passageiros indignados haviam criado uma página no Facebook com o nome “Enganados pela Gol”, que contava com mais de 320 integrantes por volta das 18h de ontem. Pelo microblog Twitter, Nathalia Otoni se queixou: “Obrigada @voegoloficial por cancelar minhas passagens sem avisar! A culpa é minha por vc gerar o código #CBV85”.

Em um site de reclamações, dezenas de consumidores relataram indignação com os cancelamentos. De acordo os relatos, os clientes não foram oficialmente informados sobre os cancelamentos pela empresa. Se deram conta ao conferir o voo no site da companhia, muitos depois de lerem nas redes sociais histórias de outros consumidores que tiveram as passagens suspensas, ou ao tentar fazer o check-in. Um deles conta que, ao perceber que a viagem para Buenos Aires havia sido cancelada, entrou em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor e o atendente se recusou a registrar a queixa.

Para o assessor-chefe do Procon-SP, Renan Bueno Ferraciolli, ao revalidar os bilhetes a Gol está cumprindo com a oferta prometida, tendo em vista que não conseguiu comprovar má-fé dos consumidores. Muito provavelmente, disse, eles não sabiam que se tratava de um identificador restrito. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), disse que “como a empresa apresentou solução tempestiva ao problema, inicialmente não caberá medida administrativa”. Em nota, a CBV limitou-se a dizer que “trata-se de um assunto de segurança operacional da Gol, que já orientou a entidade em relação a um novo procedimento”. (Colaborou Geralda Doca)

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search