Brasil vai responder por 3,76% da demanda global por novos aviões

Portal iG


Projeções são da fabricante europeia Airbus, que estima que o país vai precisar de 1060 novas aeronaves nos próximos 20 anos, um mercado de US$ 160 bilhões
Klinger Portella – iG São Paulo
Atualizada às 08/11/2012 13:12:49

Quarto maior mercado doméstico de aviação do mundo, o Brasil vai responder por 3,76% da demanda global de novas aeronaves nos próximos 20 anos. As projeções fazem parte do estudo Airbus Global Market Forecast, realizado pela fabricante europeia Airbus.

Segundo Rafael Alonso, vice-presidente executivo da Airbus para a América Latina e Caribe, o Brasil vai precisar de 1060 novas aeronaves até 2031. “Atualmente, são 480 aviões em operação no país. Destes, 170 seguirão operando nos próximos 20 anos, totalizando um mercado de 1230 aeronaves.”

Divulgação
Airbus A330

vAs novas entregas de aeronaves representarão um mercado potencial de US$ 160 bilhões para as fabricantes. A Airbus, que hoje tem participação de 50% no mercado brasileiro, espera responder por, pelo menos, 60% dessas novas entregas nos próximos 20 anos.

A principal demanda do mercado brasileiro, segundo dados do relatório da Airbus, será por aeronaves de corredor único, que devem ter 700 novos pedidos até 2031. Os aviões de corredor duplo terão uma demanda de 310 aeronaves, enquanto a frota de grandes aviões deve crescer em 50 unidades.

As projeções otimistas com relação ao mercado brasileiro contrastam com o atual momento difícil das companhias aéreas no país. No entanto, Alonso acredita que a conjuntura seguirá favorável nos próximos anos, o que viabilizará o crescimento da frota brasileira.

A Airbus estima que o mercado doméstico brasileiro terá uma expansão de 6,5% nos próximos 20 anos, chegando a responder por 2,1% do total de passageiros transportados no mundo. Os dados brasileiros estão acima dos 5,8% previstos para a América Latina e dos 4,7% esperados para o mercado global.

Metade da América Latina

Pelos números da Airbus, o Brasil vai responder por 50,4% do total de pedidos de novas aeronaves na América Latina. A fabricante estima que a região demandará 2100 novos aviões até 2031, com um mercado potencial de US$ 242 bilhões.

A América Latina deverá ser responsável por 7,45% do mercado global de novas aeronaves em longo prazo. O mercado total está avaliado em US$ 4 trilhões, segundo o vice-presidente executivo da Airbus para a América Latina e Caribe.

A380 no Brasil

De acordo com Rafael Alonso, quatro companhias aéreas negociam com as autoridades brasileiras a autorização para iniciar voos com o A380, maior aeronave do portfólio da Airbus, com capacidade de transportar até 525 passageiros. British Airways, Lufthansa, Emirates Airlines e Air France já demonstraram interesse em operar voos no país com a aeronave.

Alonso explica, no entanto, que o governo brasileiro deverá investir entre US$ 2 a US$ 6 milhões para adequar os aeroportos de São Paulo e Rio de Janeiro para receberem a aeronave de grande porte.

“Mas o retorno que o A380 traria para os negócios dentro do aeroporto e nas imediações chegaria a US$ 20 milhões ao ano”, disse o executivo da Airbus.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search