Segurança aérea: América Latina melhora e Europa piora

Panrotas
Publicada em 17/12/2012 14:06:00
De acordo com os dados preliminares da Iata, 2012 será o terceiro ano consecutivo a registrar recorde no índice de segurança aérea. Os primeiros números apontam para queda de 17% no total de acidentes, na comparação com 2011. Na divisão regional, no entanto, nem todos os continentes viram essa redução. A Europa, por exemplo, deverá ter resultado pior neste ano, com 2,24 acidentes para cada milhão de voos, contra os 1,68 acidente a cada milhão, registrado em 2011.

Na América Latina, o índice deste ano será de 1,37 acidente a cada milhão de voos, contra índice de 5,33 no ano passado. Na África, também houve melhora, mas a região ainda é dona dos piores resultados, com índice de 8,08 acidentes a cada milhão de voos (o valor era de 12,9 em 2011). América do Norte, Oriente Médio, países da antiga União Soviética e norte da Ásia não registraram acidentes com vítimas fatais nos primeiros 11 meses do ano, segundo a Iata. De acordo com ela, apenas 15% dos acidentes registrados entre janeiro e novembro tiveram vítimas fatais, em um total de 401 mortes.

Maria Izabel Reigada

Panrotas
Publicada em 17/12/2012 13:50:00
Iata registra queda de 17% em acidentes aéreos no ano

Segundo os dados compilados até novembro, este ano deverá terminar com o melhor índice de segurança aérea da história da aviação, de acordo com a Iata. Caso dezembro mantenha os índices registrados nos meses anteriores, 2012 será o terceiro ano consecutivo a registrar recorde mundial em segurança aérea. No ano passado, de acordo com a Iata, o índice de acidentes aéreos já havia sido reduzido em 39%, em relação a 2010.

Neste ano, considerando os números preliminares, a queda é de 17% no percentual de acidentes aéreos no mundo, no comparativo com 2011. Isso significa um acidente – de qualquer tipo – a cada 5,3 milhões de voos, de acordo com o vice-presidente de Segurança Operacional da Iata, Günther Matschinigg. “Uma pessoa teria a probabilidade de envolver-se em um acidente aéreo se voasse todos os dias durante 14 mil dias consecutivos, ou mais de 38 anos, o que constata, mais uma vez, que os aviões são o meio de transporte mais seguro com grande diferença, em relação aos demais”, comparou o VP da Iata.

Maria Izabel Reigada

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search