País é o 3º com querosene mais caro

Folha de São Paulo
QUINTA-FEIRA, 20 DE DEZEMBRO DE 2012

Só Chade e Sudão, na África, têm valor mais alto de combustível de aviação, segundo levantamento da Iata
Insumo representa até metade dos gastos das companhias aéreas no Brasil; voos domésticos são os mais atingidos

DIMMI AMORA
ENVIADO ESPECIAL A GENEBRA

Enquanto o governo estuda subsidiar a aviação regional, levantamento das empresas aéreas aponta que o querosene de aviação nos principais aeroportos do Brasil é o terceiro mais caro do mundo.

O preço pago pelo produto para voos domésticos só perde para o dos principais aeroportos do Sudão e do Chade, na África.

O primeiro é um país em guerra civil. O Chade não tem acesso ao mar e não refina petróleo: precisa receber combustível de outros países em longos trajetos de caminhão.

Mesmo assim, em Recife, o preço final para o mercado doméstico é quase igual ao praticado nesses países.

O levantamento foi realizado pela Iata (Internacional Air Transport Association), órgão mundial que representa as companhias aéreas.

O combustível de aviação é hoje o principal motivo de preocupação das empresas.

A alta do barril de petróleo de cerca de US$ 60 em 2009 para pouco mais de R$ 100 neste ano fez com que o custo desse insumo alcançasse em média 30% de todos os gastos das empresas aéreas.

No Brasil, por causa do preço, a estimativa é que até metade dos gastos seja com combustível. As mais prejudicadas são as que fazem voos domésticos, porque pagam pelo produto acrescido do ICMS -os voos internacionais são isentos desse tributo.

SUBSÍDIO

Por causa do alto preço do combustível, as companhias aéreas não avaliam com entusiasmo o possível subsídio para os voos regionais, em estudo pelo governo.

Elas indicam preferir a redução de custos e a melhoria da estrutura dos aeroportos para viabilizar comercialmente rotas hoje inviáveis.

A ideia do governo é pagar por uma parte dos assentos para voos em regiões remotas ou de cidades pequenas para capitais. A previsão é que o pacote de aviação seja lançado hoje.

As empresas atribuem o custo elevado do combustível no Brasil aos impostos e à forma de cobrança da Petrobras. A estatal considera toda a gasolina de aviação vendida no país como importada. Mas 75% do produto é produzido localmente, segundo as empresas.

O jornalista DIMMI AMORA viajou a convite da Iata.

Tributo eleva tarifa de voo interno

A cobrança de 19%, em média, de ICMS do combustível torna o abastecimento de um avião para voar dentro do Brasil mais caro do que quando se enchem os tanques para ir ao exterior. Esse é um dos fatores que fazem tarifas domésticas chegar a ser mais caras que as para trechos internacionais.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search