LAN planeja neutralizar impacto em operações terrestres até 2020

Jornal de Turismo

Publicado em Quinta, 31 Janeiro 2013 10:51 

Em 2012, a LAN Airlines concluiu com sucesso a neutralização do impacto de suas operações terrestres no Peru, por meio da aquisição de créditos certificados de captura de carbono de um projeto de reflorestamento com espécies nativas na floresta amazônica peruana. Depois dessa conquista, a companhia estabeleceu como meta a medição, o levantamento e a neutralização completa da pegada de carbono das suas operações terrestres em todas as suas filiais da América do Sul (Argentina, Chile, Colômbia e Equador, além do Peru) até 2020.

No ano passado, foram neutralizadas emissões equivalentes a sete mil toneladas de gás carbônico (CO2) na LAN Peru. O escopo do levantamento da pegada de carbono da companhia no país incluiu todas as atividades geradoras de emissões diretas e indiretas de Gases do Efeito Estufa (GEE), tais como:

• Emissões derivadas de operações aéreas;
• Equipamentos de ar-condicionado;
• Consumo de energia elétrica nos escritórios administrativos e comerciais;
• Equipamentos terrestres (consumo de gasolina e diesel);
• Emissões geradas com o transporte de funcionários e viagens aéreas de negócios.

O cálculo da pegada de carbono da LAN Peru ficou a cargo da Associação Espanhola de Normatização e Certificação (AENOR), líder mundial em certificação de sistemas de gestão, produtos e serviços. A neutralização aconteceu mediante a compra de créditos certificados de captura de CO2 de um projeto de reflorestamento, com espécies nativas em Ucayali (Peru), da empresa Bosques Amazónicos (BAM).

“Para a LAN, a neutralização das operações terrestres no Peru representou uma conquista pioneira na indústria, e também um feito que marca o início de um trabalho que esperamos concluir em 2020, com a neutralização bem sucedida de nossas atividades terrestres na América do Sul”, disse Enrique Guzmán, gerente sênior de Meio Ambiente da LAN, departamento que, em 2010, passou a medir a pegada de carbono da companhia com o objetivo de reduzir o impacto ambiental de suas operações. “O levantamento de nossa pegada de carbono corporativa surgiu da necessidade de contarmos com informações precisas sobre nosso desempenho ambiental”, completa.

Atualmente, a empresa busca formar alianças com projetos emblemáticos, de preferência relacionados a reflorestamento, que atualmente capturam CO2, como é o caso do Bosques Amazónicos em Peru. “Assim que encontrarmos tais projetos, poderemos implantar o mesmo plano de levantamento e neutralização de nossa pegada de carbono em cada país onde atuamos. Já estamos dialogando com entidades na Colômbia, Chile e Equador, e continuamos em busca de organizações nos outros países onde operamos”, destacou Guzmán.

Iniciativas da LAN e o meio ambiente

A LAN assumiu um firme compromisso de cuidar do meio ambiente, o que já se materializou em diversos tipos de ações, por meio de medidas que também beneficiam as comunidades onde atua e representam um alto nível de eficiência por parte da companhia. Tal atuação vem em linha com as diretrizes da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) em termos de políticas voluntárias por parte das companhias aéreas de reduzir as emissões de CO2: avanços tecnológicos, medidas operacionais, infraestrutura e melhorias na gestão do tráfego aéreo.

-Frota moderna e “eco-friendly”: Atualmente, a LAN conta com uma das mais modernas frotas do setor aéreo, com idade média de 6,7 anos.

-Reciclagem em terra: A LAN recicla os resíduos gerados em seus voos. Este modelo já levou à reciclagem de mais de mil toneladas de resíduos por ano desde 2008, tais como papel, caixas, plásticos e latas, entre outros.

-Projeto “Lean de Combustível”: O projeto “LEAN de Combustível” (LEAN en Combustible) da LAN estabelece, entre outras medidas, a otimização em processos de voo – operações mais diretas, aterrissagens contínuas ou a gestão de combustível utilizando tecnologia de ponta -, além de rotinas mais eficientes nos processos terrestres da LAN, tais como o uso limitado da Unidade Auxiliar de Potência (APU em inglês), redução do peso a bordo ou a lavagem dos motores.

Por meio deste projeto, lançado em 2010, a LAN obteve reduções de mais de 100 mil toneladas de emissões de CO2 por ano. Em 2012, as reduções atingiram, aproximadamente, 140 mil toneladas.

-“Winglets” em toda a frota 167: A LAN concluiu a instalação de winglets – dispositivo tecnológico que ficam nas asas dos aviões e que visam reduzir sua resistência aerodinâmica – em toda a sua frota composta por aeronaves Boeing 767 que operam voos de longa distância. Esse investimento de US$ 75 milhões gerou ganhos de eficiência, reduzindo em cerca de 4% o consumo de combustível.

-Programas de eficiência energética + veículos elétricos: A empresa implantou um programa de eficiência energética em seus edifícios corporativos e centros de manutenção, além de ter substituído sua frota de veículos de operações terrestres por veículos elétricos, diminuindo as emissões de CO2 em 90% e o nível de ruído das operações em terra.

-Medição da pegada do carbono: A companhia mediu sua pegada de carbono corporativa segundo os padrões da GHG (Greenhouse Gas Protocol). A LAN possui uma das taxas de emissão por passageiro-quilômetro mais baixas do setor aéreo no mundo.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search