Protesto de funcionários da Gol complica voos do aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires

O GLOBOParalisação começou após demissão de 18 funcionários, incluindo uma grávida
8/04/13 – 19h09 

BUENOS AIRES – Um protesto de funcionários de uma empresa terceirizada da companhia aérea Gol, que reclamavam das demissões, complicou os voos da tarde desta segunda-feira no aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires. De acordo com a Gol, cinco dos sete voos diários que a empresa tem a partir de Ezeiza para o Brasil sofreram atraso. Os trabalhadores, ainda de acordo com a empresa, atuam em serviços de solo.

A greve começou esta manhã, segundo o jornal argentino Clarín, porque “sexta-feira a empresa decidiu demitir 18 companheiros, entre os quais uma grávida”, afirmou Edgardo Llano, secretário-geral da Associação de Pessoal Aeronáutico (APA), que participou do protesto no terminal internacional.

O telão que informava as chegadas e partidas sugeria aos passageiros que verificassem o status dos voos da companhia para deveriam partir para Curitiba, Porto Alegre e São Paulo (Guarulhos). Llano disse ainda que a previsão era de que os voos de hoje não iriam ser realizados e sustentou que a paralisação continuará até “ministério edite alguma medida ou a empresa reincorpore os funcionários”.

Segundo o representante do sindicato, na própria sexta-feira enviaram uma queixa ao Ministério do Trabalho da Nação “que afirmou que vai atuar mas ainda não agiu”. Comentou, ainda, que pela manhã a Polícia de Segurança Aeroportuária (PSA) ameaçou detê-los.

— Se acontecer alguma coisa, vamos fazer uma paralisação de todas as atividades a partir do dia 15 — reiterou.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search