Smiles capta R$ 1,1 bilhão em seu IPO

Valor Econômico
26/04/2013 às 00h00

Por Ana Paula Ragazzi e Carolina Mandl
Do Rio e de São Paulo

014mar2_0_0_720_471
Smiles capta R$ 1,1 bilhão em seu IPO

A Smiles, empresa de milhagens da Gol, vendeu ações a R$ 21,70 em sua oferta pública inicial (IPO). A operação somou R$ 1,13 bilhão, com a colocação dos lotes extras, conforme os dados registados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O valor dos papéis ficou R$ 1 acima do piso da faixa inicialmente sugerida, que variava de R$ 20,70 e R$ 25,80. E, apesar desse preço, apurou o Valor, o fundo de private equity General Atlantic (GA) manteve sua participação na oferta – o fundo, inclusive, fixou o novo valor das ações.

Quando a oferta de ações da Smiles foi anunciada, a empresa relatou conversas privadas com o General Atlantic. Um acordo entre ambos previa que o fundo compraria R$ 400 milhões em ações da Smiles, limitado a 19,99% do capital da empresa, se a ação fosse vendida a R$ 20,70. Em caso de mudança de preço, o General iria reavaliar sua participação no negócio.

Já de saída, portanto, a Smiles veio a mercado anunciando um investidor âncora para a operação. Em princípio, por conta da sinalização de preço dada pelo General Atlantic, o mercado esperava que a oferta sairia necessariamente no piso sugerido.

No entanto, exatamente a presença do General Atlantic como um novo acionista relevante para a Smiles acabou se transformando em um forte apelo para a colocação da operação. As informações de mercado são de que a demanda pelos papéis da Smiles chegou a superar em oito vezes o total ofertado. O preço não teria ido para o topo do intervalo porque acabou acompanhando mais a disposição do GA em continuar na operação. Diante do grande interesses de outros investidores, o fundo elevou seu preço máximo de entrada para R$ 21,70. O Valor apurou que o GA manteve o investimento de R$ 400 milhões e levou 18,433 milhões de ações da Smiles – passará a ter 16% do capital da empresa de milhagens.

O que mais agradou os investidores na parceria entre General Atlantic e Smiles é a possibilidade de incremento na governança da empresa. O mercado, recentemente, considerou haver conflito de interesses em uma operação envolvendo a TAM e sua empresa de milhagens listada em bolsa, a Multiplus (ver abaixo).

Além do aporte de recursos, o acordo inicial entre a General Atlantic e a Smiles estabelece que se o fundo alcançasse fatia de pelo menos 10% da empresa, teria garantido o poder de veto em operações que envolvam partes relacionadas, como negociações da companhia com a Gol cujos valores superem R$ 2 milhões, como alteração no contrato de compra e venda de milhas e passagens aéreas.

Além disso, para decretar o alinhamento de interesse entre os acionistas, Constantino de Oliveira Júnior e Henrique Constantino, dois dos principais acionistas da Gol, também ficaram obrigados a reservar R$ 50 milhões de ações na oferta inicial.

A Smiles chega ao mercado valendo cerca de R$ 2,5 bilhões. A Gol se manterá no controle, com 60% do capital. Ontem os papéis da Gol subiram 4,71%. E as ações da concorrente Multiplus tiveram leve alta de 0,31%.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search