Boeing inicia venda de 777X e abre disputa de mini-jumbos

Portal Terra
02 de Maio de 2013•10h23 • atualizado às 10h25

Empresa deve começar a receber pedidos para uma versão reformulada de seu jato de grande porte mais vendido, o 777

boeing777div
Nova versão do jato deve começar a ser produzida após pedidos
Foto: Divulgação

A Boeing iniciou a oferta do aguardado avião de longo alcance 777X, abrindo caminho para uma guerra de “mini-jumbos” com a rival europeia Airbus, disseram fontes da indústria. O início da oferta significa que a divisão de aviões comerciais, que pode incluir novos motores da General Electric e pontas de asas dobráveis.

A Boeing não quis comentar reunião da diretoria da companhia realizada na segunda-feira, mas disse que prosseguirá com o projeto para atualizar o jato, em serviço desde a década de 1990. “Estamos dando o próximo passo junto a clientes sobre o 777X”, disse o porta-voz da empresa, Doug Alder. A companhia iniciou “discussões técnicas adicionais, sobre precificação e detalhes de calendário com clientes”, acrescentou.

A Reuters publicou em 24 de abril que a Boeing estava pronta para seguir com o projeto “dentro de semanas”, após um de seus principais clientes, a British Airways, fazer um pedido de US$ 6 bilhões pelos jatos A350-1000 da rival Airbus.

Até então, a Boeing se aproveitava de um monopólio virtual no lucrativo mercado de jatos de grande porte e equipados com dois motores, mas a Airbus começou a desafiar essa posição com o A350-1000 para 350 passageiros e que deve entrar em serviço em 2017.

A resposta da Boeing é uma revisão substancial no design do 777, que deverá entrar em serviço por volta de 2020. Pessoas familiarizadas com o assunto disseram que o conselho de administração da Boeing havia aprovado a chamada “autorização de oferta”, permitindo o início das vendas do modelo.

Depois de atrair encomendas suficientes, a diretoria da Boeing reunirá seu conselho de administração para receber permissão para começar a desenvolver e construir o jato. “A Boeing estava esperando para ver o que aconteceria com o A350-1000 e a encomenda da BA claramente apoiou a decisão deles”, disse o analista Nick Cunningham, da Agency Partners, em Londres.

“Poderá ser um competidor incrível, dado o sucesso do 777-300ER, mas eu suspeito que vai acabar tendo grande parte do custo e risco de um novo programa completo (de aeronave).”

Terra

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search