Aéreas iniciam manobras

Gazeta Digital – MT
CUIABÁ, QUARTA-FEIRA, 26 DE JUNHO DE 2013

DÓLAR EM ALTA
Empresas reduzem voos e aumentam valor das passagens para minimizar os impactos da variação cambial
DA REDAÇÃO

Otmar de Oliveira
13_06_26gzmt001
200 voos semanais a partir de agosto, a maioria envolvendo rotas no Brasil

Companhias aéreas começam a fazer manobras para tentar minimizar os efeitos da alta do dólar sobre a planilha de custos. A Gol, por exemplo, anuncia redução no número de voos e até reajuste no valor das passagens, o que impactará na prestação do serviço em todo o país, inclusive Mato Grosso, onde a empresa mantém voos diários partindo de Cuiabá para São Paulo, Brasília, Campo Grande, Porto Velho e Rio de Janeiro. Medida desagrada o segmento de agências de viagens, que prevê diminuição nas vendas de pacotes turísticos por causa da alta nos preços. Outro problema é o risco de as empresas venderem assentos nas aeronaves além da capacidade de atendimento (overbooking).

Mantendo 10 voos diários, a Gol anunciou na segunda-feira (25) a suspensão 200 voos semanais a partir de agosto, a maioria envolvendo rotas no Brasil. Número equivale a 20% do total de voos diários mantidos pela companhia. A empresa não detalhou quais das 970 rotas atendidas em voos nacionais e internacionais serão afetadas com a mudança. De acordo com a nota oficial divulgada, a empresa irá reduzir em cerca de 9% a oferta doméstica para 2013, em comparação com 2012. Até então, a previsão da companhia era cortar em 7% a oferta de voos domésticos. Com a nova redução, a meta de margem operacional da Gol oscila entre 1% a 3% para este ano.

A elevação dos custos de operação levou a América do Sul Linhas Aéreas (Asta) a optar pela majoração das passagens. Alteração nos valores será aplicada no próximo mês, informa o diretor da Asta, Luís Roberto Silva. “Há 2 meses reduzimos a tarifa em 10% e ainda não definimos de quanto será o reajuste, mas teremos que repassar essa alta do dólar”. Com 2 voos diários partindo de Cuiabá, a empresa atende os municípios de Sinop, Juara, Juína, Confresa, Alta Floresta e Novo Progresso. A partir de agosto, a empresa inclui o município de São Félix do Araguaia.

Gerente de vendas de uma das lojas CVC Viagens na Capital, Josiane Silva Casado afirma que o aumento das passagens e redução de voos tornará mais difícil a venda de pacotes turísticos e exigirá antecipação ainda maior na compra dos bilhetes aéreos. “Para nós em Mato Grosso já é muito complicado. As vendas de pacotes de viagens são feitas com uma antecedência média de 4 meses e os preços são elevados”. Ela exemplifica citando os valores de passagens aéreas partindo de Cuiabá para Orlando (EUA), que pode chegar a R$ 6 mil. “Para o mesmo destino, partindo de Brasília, dá para reduzir o valor em R$ 2 mil”.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Agentes de Viagens em Mato Grosso (Abav), Nilson Freitas a redução na disponibilidade de voos irá aumentar a ocupação das aeronaves e encarecer as passagens. “Existe, é claro, o risco de overbooking e alguns destinos serão afetados, principalmente aqueles com menor número de passageiros”.

Em 2012 foram registradas 66 reclamações relacionadas ao transporte de cargas e passageiros via aérea e rodoviária em Mato Grosso, segundo o Procon Estadual.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search