Smiles reconhece erro e vai devolver milhas a 4 mil clientes

Globo
17/07/13 – 21h03

Após ação do Ministério Público do DF, empresa informa que sistema cobrou quantidade superior aos valores que constam na tabela de resgate de parceiros aéreos
Milhas debitadas acima dos valores mínimos serão devolvidas até 15 de agosto
O GLOBO

2012081502747Smiles, programa de fidelização que inclui clientes da GOL, devolverá milhas cobradas
indevidamente Foto: Michel Filho/15-8-2012

RIO — A Smiles, empresa que atua no segmento de recompensa e fidelização, informou nesta quarta-feira que, por uma falha de sistema, ocorreram “alterações indevidas” nas quantidades mínimas de milhas exigidas para emissão de bilhetes com suas parceiras aéreas internacionais e que por isso vai devolvê-las a cerca de 4 mil clientes.
A Smiles comunicou que todas as milhas debitadas acima dos valores mínimos estipulados nas tabelas de resgate serão devolvidas até o dia 15 de agosto aos cerca de 4 mil participantes possivelmente afetados, em um universo de 330 mil pessoas que adquiriram bilhetes Smiles no período de 29 de maio até hoje.

O comunicado foi divulgado dois dias após o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) informar que está investigando a empresa por ter aumentado o número de pontos necessários para a emissão de passagens aéreas sem ter comunicado os consumidores. A companhia, porém, diz que, até o momento, não recebeu qualquer documento emitido pelo órgão.

A Smiles informa que o sistema da empresa passou a cobrar uma quantidade de milhas superior aos valores que constam na tabela de resgate de parceiros aéreos. E afirma que a falha ocorreu para resgates com as parceiras aéreas em voos para a América do Norte, América do Sul, América Central e Caribe, Havaí, Europa, África, Oriente Médio, Ásia, Oceania e Ilha de Páscoa.

Ainda de acordo com a companhia, a falha não afetou a emissão de qualquer trecho ou bilhete de voos operados pela Gol.

Embora não tenha sido notificada sobre a indução de venda de seguro-viagem, a GOL, que poderia ser alvo de investigação do MPDFT sobre o tema, reafirmou que o serviço adicional e opcional à oferta de passagens aéreas.

“Não há qualquer obrigatoriedade de compra do seguro ou de qualquer serviço, uma vez que o sistema não tem nenhuma pré-seleção marcada. Caso tenha interesse pelo serviço, é necessário que o cliente se manifeste clicando no item. A GOL reforça que não procede, portanto, qualquer informação de que há indução ou de que seja compulsória a compra de serviços opcionais, tal como explicitado em seu site.”

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search