Brasil quer mais voos para a Argentina

O Estado de S.Paulo
Segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Marina Guimarães
BUENOS AIRES

A inauguração dos voos diretos de Buenos Aires a Brasília, Belo Horizonte e Curitiba, na quinta-feira, operados pela estatal Aerolíneas Argentinas e sua subsidiária Austral amplia a frequência semanal de voos da companhia para o Brasil, mas não é suficiente para permitir a renegociação do acordo bilateral de equivalência de frequências, com vistas à ampliação de voos brasileiros para a Argentina.

Pelo acordo atual, cada lado tem direito a alocar 133 frequências semanais às companhias de seu país. Do lado brasileiro, as frequências atingiram o teto com 77 voos da Gol e 56 da TAM, e as companhias pedem mais. Do lado argentino, porém,são realizados 100voos,86 da Aerolíneas e 14 da Lan.

O governo privilegia a Aerolíneas Argentinas na distribuição de frequências e não renegocia o acordo bilateral enquanto a estatal não preencher a cota. Em fevereiro, o governo brasileiro autorizou a Aerolíneas a realizar os voos diretos para Brasília, Belo Horizonte e Curitiba.

As novas rotas somam-se às do Rio, São Paulo, Porto Alegre, Salvador e Florianópolis – esta última somente na temporada de verão. A estatal também vai inaugurar um voo direto para Nova York, em setembro. Para as novas frequências, em abril, a Aerolíneas negociou com a Embraer e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a compra de mais dois jatos 190, além dos 20 adquiridos anteriormente.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search