Notícias Vasp – 415 – "Devo, não nego. Não pago nem se puder." diz Wagner Canhedo

Correio Braziliense
03/09/2013 06:02
Wagner Canhedo: fama veio com negócios, ambição, ostentação e calotes
Do seleto grupo de bilionários, Wagner Canhedo de Azevedo enfrenta hoje dívidas trabalhistas e uma avalanche de ações judiciais. Desde sábado, está atrás das grades
Adriana Bernardes
Renato Alves

image001
Aviões da Vasp ao lado do Aeroporto Juscelino Kubitschek: a companhia acumulou
dívidas de R$ 3,2 bilhões e acabou falindo em 2008

“Devo, não nego. Não pago nem se puder.” Seguindo a sua máxima, conhecida entre o empresariado brasileiro, Wagner Canhedo de Azevedo, 77 anos, parou atrás das grades, condenado por sonegação fiscal praticada entre 1997 e 1999. Policiais civis do Distrito Federal cumpriram mandado de prisão da Justiça de Santa Catarina no sábado de manhã. O rombo nos cofres catarinenses foi de R$ 486 mil, à época, segundo consta na sentença, à qual não cabe mais recurso. O empresário, que fez fortuna colecionando escândalos, enfrenta uma avalanche de ações judiciais e assiste à derrocada de seu império.

Da infância pobre em Potirendaba (SP), onde nasceu, ao seleto grupo de bilionários, Canhedo tornou-se conhecido pelos negócios, a ambição, a ostentação e os calotes. Transitou como poucos no meio político. E, das amizades nesse universo, fez fortuna por meio de transações suspeitas. Na mesma velocidade que enchia os cofres, acumulava dívidas fiscais e trabalhistas. Somente da Vasp, a empresa aérea comprada do governo de São Paulo em 1990, que teve a falência decretada em 2008, ele deve R$ 1,5 bilhão à Justiça do Trabalho, distribuídos em 4.833 processos.

Nascido em 20 de janeiro de 1936, Wagner Canhedo Azevedo é filho de Alzira Canhedo Azevedo e de Joaquim Canhedo, um espanhol que aos 8 anos deixou a cidade de Nerja, na região da Andaluzia, e imigrou para o Brasil, onde começou a vida como caminhoneiro. Aos 10 anos, Canhedo lavava motores. Aos 16, já administrava a própria oficina mecânica. Trocou os estudos pelo trabalho. Dez anos mais tarde, já morando na recém-inaugurada Brasília, se tornou um milionário transportando mercadorias com uma frota inicialmente de oito caminhões.

image002
Aos 77 anos, Wagner Canhedo foi
condenado por sonegação fiscal

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search