Grupo chinês compra 23,7% da Azul Linhas Aéreas por R$ 1,7 bilhão

FOLHA DE SÃO PAULO/UOL

24/11/2015

Airbus A330 da Azul

Airbus A330 da Azul

Azul receberá ao longo deste ano seis aeronaves do modelo A330-200

O grupo chinês HNA assinou acordo para comprar 23,7% da Azul Linhas Aéreas Brasileiras por R$ 1,7 bilhão, obtendo direito a assento no Conselho de Administração da empresa.

O investimento avalia a empresa em mais de R$ 7 bilhões e, de acordo com a Azul, a torna a aérea mais valiosa do mercado brasileiro.

“Esse investimento trará importantes benefícios para a Azul em vários aspectos, tais como: fortalecimento do caixa; continuidade do plano de renovação de frota; melhoria de produtos e serviços para nossos clientes; além de amortização de dívidas”, disse a empresa em comunicado nesta terça-feira (24).

Segundo o fundador da Azul, David Neeleman, o negócio pode fazer com que a aérea brasileira entre no mercado asiático por meio de acordos de “interline” —modelo que possibilita passageiros reservarem voos de diferentes companhias parceiras para um percurso não atendido por só uma empresa— e de compartilhamento de voos.

Hoje, a Azul já realiza operações deste tipo em voos da norte-americana United, que comprou, em junho, 5% de participação na companhia aérea por US$ 100 milhões.

O consórcio liderado Neeleman, acionista majoritário da Azul, venceu em junho a disputa pela compra de 61% da ex-estatal portuguesa TAP, o que deve ajudar a aérea brasileira a ganhar capilaridade.

O HNA Group é um conglomerado que opera nos setores de aviação, indústria, turismo, logística e financeiro, com atuação expressiva no financiamento de aeronaves.

Em nota, o presidente do HNA, Adam Tan, afirmou que o grupo está comprometido em expandir sua presença no setor de aviação. “Estamos felizes de nos aliar à Azul para proporcionar mais opções e conveniência para nossos clientes que viajam ao Brasil”, afirmou.

O acordo com o grupo chinês ocorre após a companhia americana United Airlines, do grupo United Continental, anunciar, em junho, a compra de 5% da Azul por US$ 100 milhões, e depois de o consórcio liderado por Neeleman vencer a disputa pela compra de 61% da ex-estatal portuguesa TAP, o que deve ajudar a aérea brasileira a ganhar capilaridade.

RAIO-X

AZUL/2014

FATURAMENTO R$ 5,8 bilhões

PREJUÍZO LÍQUIDO R$ 65,04 milhões

NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS 10 mil (tripulantes)

DÍVIDA LÍQUIDA R$ 2,3 bilhões

PRINCIPAIS CONCORRENTES Tam, Gol, Avianca

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search