CEO da United se pronuncia sobre passageiro que foi agredido e arrastado de avião; confira

Em carta enviada aos funcionários da empresa,  o CEO defendeu os funcionários que agrediram e expulsaram à força o passageiro, escrevendo que eles “seguiram procedimentos estabelecidos para situações deste tipo”

SÃO PAULO – Neste domingo (9), um vídeo de um passageiro sendo espancado e arrastado a força do voo 3411 da United Airlines, partindo de Chicago para Louisville, viralizou nas redes sociais.

Com cerca de 30 segundos de duração, o vídeo foi divulgado por outras passageiras que estavam no voo e mostra três seguranças pedindo para que um passageiro, já acomodado no voo, deixasse a aeronave.

A forma agressiva que os seguranças usaram para tirar o homem do avião, arrastando-o pelo corredor entre as poltronas, levou o CEO da aérea, Oscar Munoz, a pronunciar-se sobre o assunto entre seus próprios funcionários, através de uma carta enviada internamente a eles – mas não contrariando a medida.  De acordo com o portal Telegraph, o CEO defendeu os funcionários que agrediram e expulsaram à força o passageiro, escrevendo que eles “seguiram procedimentos estabelecidos para situações deste tipo”

O executivo continua em sua carta explicando que a aérea “não teve escolha” a não ser agir da forma que o fez. “Ao mesmo tempo em que lamento profundamente esta situação, eu também fico enfaticamente ao lado de vocês e quero recomendar que vocês continuem indo ao infinito e além para garantir que voemos da forma correta”, conclui na carta.

Em comunicado enviado ao público pela empresa, entretanto, o CEO assume uma posição contrária: “Este é um evento perturbador para todos nós aqui na United. Eu me desculpo por ter que reacomodar esses clientes. Nossa equipe está trabalhando com senso de urgência para trabalhar com as autoridades e conduzir nossa visão detalhada do que aconteceu. Também estamos entrando em contato com o passageiro para resolver esta situação”, disse..

De acordo com Audra Bridges, a passageira que divulgou o vídeo em seu Facebook, funcionários da administração da United foram até a aeronave e selecionaram aleatoriamente quatro passageiros do voo que teriam de deixar o voo, que estava lotado devido a “overbooking” – quando a aérea vende mais passagens do que o número disponível para determinado voo. O homem arrastado no vídeo foi um desses selecionados, que alegou não poder deixar a aeronave pois era médico e precisava visitar pacientes.

O passageiro em questão não se pronunciou sobre o ocorrido.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search