Aeroporto tem 94% das obras físicas concluídas

Tribuna do Norte – RN
25 de Março de 2014 às 00:00

Aeroporto tem 94% das obras físicas concluídas

O presidente do consórcio Inframérica, Alysson Paolinelli, frisou que as obras físicas do Aeroporto Governador Aluízio Alves serão concluídas até 15 de abril e enfatizou que o consórcio está entregando a estrutura sete meses antes do previsto, considerando que o prazo contratual é janeiro de 2015. O consórcio afirma que 94% da construção já foi executada. “Faltam os retoques finais e a parte de limpeza da obra. Até o dia 15 de abril vai estar tudo pronto. Não vamos mudar o cronograma da obra física”, disse o executivo.

Adriano Abreu

Paolinelli, presidente do consórcio Inframérica: Não vamos mudar o cronograma da obra físicaPaolinelli, presidente do consórcio Inframérica: Não vamos mudar o cronograma da obra física

Paolinelli, presidente do consórcio Inframérica:
Não vamos mudar o cronograma da obra físicaPaolinelli,
presidente do consórcio Inframérica: Não vamos mudar
o cronograma da obra física

Estruturas como escadas rolantes, esteiras de bagagens e os guichês onde os passageiros farão check-in e despacharão as malas já estão implantados.

Copa
A expectativa é que o novo aeroporto receba todos os voos comerciais previstos para o Rio Grande do Norte durante a Copa do Mundo, disseram o ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, e o presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que administra o aeroporto Augusto Severo, Gustavo do Vale. Há a possibilidade de o Augusto Severo receber apenas voos executivos, no período.

Segundo a Infraero, mesmo com o início das operações do Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, o Augusto Severo poderá ser usado, durante o mundial, para receber a demanda regional de táxis aéreos e aviões de pequeno porte inclusive de outros aeroportos regionais, como os de Fortaleza e Recife, em caso de necessidade. “Isso em caso de termos dificuldade de pátio, o pátio cheio, nesses outros aeroportos (vizinhos”, disse Moreira Franco. O presidente da Infraero, por sua vez, enfatizou que “não teremos nenhum vôo comercial no Augusto Severo a partir do momento em que o aeroporto de São Gonçalo entrar em operação”. “Só se ele não começar a operar dentro do prazo. Nesse caso, o Augusto Severo vai continuar funcionando normalmente”, assegurou.

A Infraero pediu a prorrogação dos contratos com comerciantes e lojistas que hoje atuam no Augusto Severo. O contrato, que se encerraria em abril, será prorrogado até agosto deste ano, mas não abrange as empresas aéreas. “Não basta que o aeroporto (ASGA) fique pronto. É preciso ter todos os tipos de estruturas: desde o comércio, até as áreas de transferência de bagagem (handler). É uma prorrogação (com os lojistas) preventiva, caso eles não tenham a estrutura completa”, disse ainda Vale, acrescentando que “nada impede que o Augusto Severo seja desativado antes de agosto. “Tudo depende da demanda”, disse Vale. A manutenção de aeroportos alternativos é uma opção estudada em todas as cidades-sede da Copa, de acordo com Gustavo do Vale.

Para o pós-mundial, entretanto, o futuro do Augusto Severo permanece indefinido. Apesar de a Força Aérea Brasileira (FAB) ter confirmado que o aeroporto passaria para as mãos da aviação militar, Gustavo do Vale afirmou que não há um “martelo batido” quanto ao assunto.

Outras destinações estão sendo estudadas pelas secretarias da Aviação Civil (SAC) e do Patrimônio Público da União (SPU). Entre as alternativas comerciais para a área, estão a construção de um shopping ou um centro de convenções. A decisão só deve ser tomada após o início completo das operações do Aeroporto Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante.

Bate-papo – Alysson Paolinelli
Presidente do consórcio Inframérica

Os primeiros voos chegarão no aeroporto em 10 de maio?
Vamos esperar o cronograma das aéreas, mas trataria como sendo dia 10 de maio.

Há bastante tempo vocês trabalhavam com a possibilidade de inaugurar no dia 15 de abril. O que atrasou?
Não é um atraso. Quando a gente colocou o desafio do dia 15 de abril tínhamos uma folga no cronograma. O objetivo era colocar operacional para a Copa. Tínhamos 60 dias de folga. Vamos conseguir ainda quase 40 dias antes do primeiro jogo entregar o aeroporto operacional.

O consórcio havia dito que no dia 27 de março entregaria as instalações para as aéreas começarem a fazer a mudança. Existe uma perspectiva nova de entrega dessas instalações?
Nós já liberamos as áreas para as companhias, elas já vêm se preparando, fazendo os seus projetos de instalação, e o aeroporto já está pronto para recebê-las. Logicamente elas também tem a parte delas de implementação dos seus processos.

O presidente da Infraero comentou que há possibilidade de o Augusto Severo receber voos executivos na Copa. Por que é necessário se o de São Gonçalo tem capacidade para isso?
O aeroporto de São Gonçalo vai estar pronto na Copa e a posição dos voos executivos é uma questão que a Aeronáutica vai ter que administrar porque vão ser muitas aeronaves, no Brasil inteiro e esses aeroportos alternativos serão sempre opção em caso do pátio estar cheio em aeroportos como Fortaleza.

O número de voos despencou em Natal. Qual é a expectativa considerando que esse aeroporto (o novo) tem capacidade maior?
Na verdade temos um trabalho de reativação da malha aérea local. Temos feito esse trabalho junto às companhias aéreas, que têm todo o interesse.

Qual é a estratégia? Vocês estão ofertando algum tipo de incentivo?
Temos conversado com o governo sobre a redução do ICMS no querosene de aviação. Ainda não tivemos resposta, mas temos certeza de que o Estado está fazendo análises e esperamos em breve contar com esse apoio porque aí sim conseguiremos criar um número maior de voos.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search