Azul vai voar de Campinas para Miami e Nova York ainda neste ano

Folha de São Paulo
23/04/2014 e 03h00

MARIANA BARBOSA
DE SÃO PAULO

A Azul vai estrear no mercado internacional com voos de Campinas para Miami (aeroporto de Fort Lauderdale) e para Nova York (JFK). A Folha apurou que os voos internacionais terão início neste ano e que serão feitos com aviões da Airbus.

A companhia fundada por David Neeleman deve anunciar hoje uma encomenda bilionária de aviões modelo Airbus A350XWB.

Até a chegada dos A350o, contudo, a operação será feita com aviões A330 usados, que serão arrendados.

Localizado 33,7 quilômetros ao norte de Miami, o aeroporto de Fort Lauderdale é pouco conhecido dos brasileiros. As companhias que conectam o país a Miami com voos diretos utilizam o Miami International Airport, que fica a 13 quilômetros do centro da cidade.

Mas Fort Lauderdale é uma das principais bases de operação da JetBlue, empresa também fundada por Neeleman nos EUA e que opera com jatos Embraer e Airbus. Os clientes da Azul poderão fazer conexão dentro dos EUA em voos da JetBlue.

Procurada, a Azul não comentou. A Airbus disse que se encontra “regularmenle com companhias aéreas corno a Azul’, para atualizar sobre produtos, mas que não poderia comentar pois “o conteúdo desses encontros é confidencial”.

Novo modelo de aeronave da Airbus, que compete com o Boeing -787 Dreamliner, A350 entra em operação comercial em meados deste ano. Mais de 800 unidades foram encomendadas – a um preço de lista que começa em US$ 250 milhões-, e a primeira companhia a receber o novo avião será a Qatar

CONGONHAS

A Azul também vai expandir sua frota doméstica para voar a partir de Congonhas.

A SAC (Secretaria de Aviação Civil) está concluindo os detalhes da nova regra de redistribuição de autorizações para voos no aeroporto paulistano e que vai beneficiar a empresa e a Avianca.

O governo deverá distribuir, entre as duas companhias, 2 dos 4 slots (vagas para pouso ou decolagem) por hora usados atualmente pela aviação executiva.

A Azul é a empresa com menos autorizações no aeroporto (apenas um pouso e uma decolagem aos sábados) e será a maior beneficiada com a nova regra.

Com as duas novas vagas por hora, o número de slots usados pela aviação comercial em Congonhas passará para 32. Para compensar a perda de slots na pista principal, a aviação executiva ganhará dois pares na auxiliar.

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search