Investigação terá início com coleta de dados no local onde avião caiu, explica FAB

Aeronáutica apura acidente aéreo que vitimou o ministro Teori Zavascki, do STF; há outras duas investigações em curso: uma do Ministério Público e uma da Polícia Federal.

Por G1, Brasília
20/01/2017 09h37 Atualizado 20/01/2017 13h21

Destroço do avião que caiu com o ministro do STF Teori Zavascki a bordo é visto diante de um navio da Marinha nesta sexta-feira (20), um dia após a queda, que está sob investigação (Foto: Bruno Kelly/Reuters)

Destroço do avião que caiu com o ministro do STF Teori Zavascki a bordo é visto diante de um navio da Marinha nesta sexta-feira (20), um dia após a queda, que está sob investigação (Foto: Bruno Kelly/Reuters)

Uma equipe de militares da Força Aérea Brasileira (FAB) iniciou investigação no local do acidente aéreo que vitimou o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF). A primeira fase da apuração consiste na coleta de dados no local da tragédia, informou a FAB por meio de nota nesta sexta-feira (20).

Relator da Lava Jato no STF, Teori morreu na tarde desta quinta-feira (19), aos 68 anos, após a queda de um avião em Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro. Há, segundo informações oficiais, outras quatro vítimas no acidente.

Até o momento, três investigações foram abertas para investigar as causas do acidente: uma conduzida pela Aeronáutica, por meio do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa); uma aberta pelo Ministério Público Federal (MPF); e uma conduzida pela Polícia Federal. MPF e Polícia Federal irão apurar se houve eventual intenção deliberada de derrubar o avião.

O MPF de Angra dos Reis, no litoral sul do Rio de Janeiro, abriu inquérito a respeito. A responsável é a procuradora da República Cristina Nascimento de Melo.

Na PF, o inquérito está sob responsabilidade do delegado chefe da corporação em Angra, Adriano Antonio Soares. O policial aguarda a chegada em Angra de um grupo da PF de Brasília, especializado em acidentes aéreos.

Aeronáutica

Segundo a Aeronáutica, uma equipe de militares especializados em acidentes aéreos foi deslocada para o local do acidente. A equipe vai atuar na chamada “fase de ação inicial”, quando há a coleta de dados.

Nessa etapa, os militares analisam os destroços, buscam indícios de falhas, levantam hipóteses sobre a performance da aeronave nos momentos finais do voo, fotografam detalhes e retiram partes da aeronave para análise, se for o caso.

Depois da fase inicial de coleta de dados, a investigação prossegue com a fase de análise dos dados, explicou a FAB.

Nessa fase, os investigadores analisam o material coletado e leva em conta diversos fatores contribuintes para o acidente: fatores materiais (sistemas da aeronave e projeto, por exemplo); fatores humanos (aspectos médicos e psicológicos); ou fatores operacionais (rota, meteorologia etc).

Segundo a FAB, não é possível estabelecer um prazo para o fim das investigações conduzidas pelos militares, já que tudo dependerá da complexidade do acidente.

“Vale salientar que a investigação realizada pelo Cenipa tem como finalidade a prevenção de acidentes aeronáuticos. O relatório final irá identificar os fatores contribuintes para o acidente e elaborar as respectivas recomendações de segurança, de forma a tornar a aviação mais segura no Brasil e no mundo. A autoridade policial deve conduzir sua investigação paralelamente”, informou a FAB.

http://g1.globo.com/politica/noticia/investigacao-tera-inicio-com-coleta-de-dados-no-local-onde-aviao-caiu-explica-fab.ghtml

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search